VI SEMANA DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – UEMG – IBIRITÉ - Instituto Prístino

VI SEMANA DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – UEMG – IBIRITÉ

Imagem de divulgação da VI Semana das Ciências BiológicasA Universidade do Estado de Minas Gerais promoveu a VI Semana das Ciências Biológicas, cujo tema central foi “A Crise da Biodiversidade e os desafios para a Educação Ambiental”. O evento aconteceu entre os dias 3 e 6 de setembro, na Unidade Ibirité, com o apoio do CRBio 4ª Região e da CGC Informática. A comissão organizadora do evento conseguiu reunir grandes pesquisadores de diversas áreas do conhecimento da biologia para discutir sobre a conscientização do impacto humano à biodiversidade e o desafio da educação ambiental. O Instituto Prístino, a convite da UEMG, ministrou o minicurso: “Para além das MINAS: o papel da educação ambiental na socialização do conhecimento da biodiversidade das GERAIS”. Durante esta atividade os palestrantes abordaram os seguintes temas:

Capa do Livro "Ilhas de Ferro", do Instituto Prístino

Figura 1 – Material paradidático para a aplicação da Educação Ambiental nas escolas.

● Biodiversidade e Serviços Ambientais associados principalmente aos geossistemas ferruginosos no estado de Minas Gerais;
● Antropoceno e a exploração dos recursos naturais: A Crise da Biodiversidade
● Desafios para conservação
● Apresentação e Discussão das Normas Ambientais vigentes
● Apresentação de atividades da Educação Ambiental realizadas pelo Instituto Prístino em parceria com escolas da região do Peixe Bravo
● Apresentação da cartilha “Ilhas de Ferro Descobrindo a importância ambiental dos ecossistemas em cangas ferruginosas” como um material paradidático, da qual tem como objetivo o desenvolvimento da relação homem-natureza no contexto ambiental dos geossistemas ferruginosos localizados nas regiões do Quadrilátero Ferrífero e do Peixe Bravo, Minas Gerais. (Figura 1).

 

Atlas Digital Geoambiental do Instituto Prístino

Figura 2 – Webgis como ferramenta para aplicação da Educação Ambiental.

Na segunda parte do mini-curso, os palestrantes abordaram a biodiversidade e as ameaças relacionadas à Mata Atlântica, bem como o estado da arte das práticas didático-pedagógicas em educação ambiental (Rodrigues et al. 2019) e a apresentação de ferramentas, que podem ser exploradas durante as atividades de educação ambiental. Dentre as ferramentas, apresentamos o potencial de se utilizar o Atlas Digital Geoambiental do Instituto Prístino (Figura 2), o site da SOS Mata Atlântica “Aqui tem Mata?” (https://aquitemmata.org.br/#/); os portais da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (https://www.rbma.org.br/rbma/index_rbma.asp) e da Biodiversidade do ICMBio (https://portaldabiodiversidade.icmbio.gov.br/portal/).Ao final do minicurso, os participantes estenderam o diálogo com discussões sobre a importância do biólogo como protagonista que promove a socialização do conhecimento científico em uma linguagem de fácil entendimento à comunidade; e realiza a educação ambiental em todos os níveis para conscientização da preservação do meio ambiente.