Relações Florísticas entre as Formações Florestais da Cadeia do Espinhaço, Brasil. - Instituto Prístino

Relações Florísticas entre as Formações Florestais da Cadeia do Espinhaço, Brasil.

A Cadeia do Espinhaço é uma formação de montanhas que se estende no sentido norte-sul, da Bahia até Minas Gerais, sob influência fitogeográfica dos domínios da Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. As florestas encontradas nessa formação ocorrem em altitudes acima de 700m, sendo pouco conhecidas floristicamente. O objetivo do presente trabalho foi analisar as relações florísticas entre 18 áreas de floresta baseado na composição de sua flora arbórea, bem como os padrões de distribuição das espécies associados às variáveis geo-climáticas. A listagem totalizou 1.107 espécies. As espécies arbóreas de ampla distribuição no Espinhaço (12 ou mais áreas) representaram apenas 2,6% do total amostrado e as espécies consideradas de ocorrência restrita (uma ou duas áreas) totalizaram 49% desse total. O dendrograma de similaridade florística produzido por análise de agrupamento classificou as áreas em quatro regiões: (a) Quadrilátero Ferrífero, (b) Chapada de São Domingos, (c) Espinhaço Central, em Minas Gerais e Bahia, e (d) Disjunções Setentrionais da Chapada Diamantina. A distinção entre as regiões está provavelmente relacionada com a latitude, a precipitação e a altitude. Foi observada uma considerável riqueza de espécies arbóreas ao longo da Cadeia do Espinhaço, sendo o Quadrilátero Ferrífero e o extremo norte da Chapada Diamantina as regiões mais rica e mais pobre, respectivamente. Há uma carência de dados florísticos para a região compreendida entre o norte de Minas Gerais e o centro-sul da Bahia.

Fazer download do artigo


Autores:

Kamino, L.H.Y.; Oliveira-Filho, A.T.; Stehmann, J.R.


Publicação

Megadiversidade, Volume 4, n. 1-2, dezembro 2008; p. 39-49.