Levantamento ambiental e cultural para conservação do Vale do Peixe Bravo - MG - Instituto PristinoInstituto Pristino

Levantamento ambiental e cultural para conservação do Vale do Peixe Bravo – MG

Tipo: Projeto de pesquisa

Situação: Em finalização

Localidade:

Objetivo:

 

Geral: Indicar áreas para conservação do patrimônio biológico e cultural.

 

Específicos:

– Registrar espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção.

– Contribuir para o conhecimento da distribuição da flora e da fauna dos geossistemas ferruginosos do Norte do Estado de Minas Gerais.

– Fomentar a formação de coleções científicas, gerando conhecimento de base sobre taxonomia e variação geográfica.

– Caracterizar sítios arqueológicos pré-coloniais e históricos na área de estudo.

– Identificar relações históricas entre a área de estudo e o contexto regional.

– Realizar análises técnicas e estilísticas da arte rupestre identificada.

 

Resultados preliminares da fauna:

Foram registradas 128 espécies de aves na região.

Dentre elas, 11 táxons são endêmicos da Caatinga (Anopetia gounellei, Cantorchilus longirostris bahiae, Compsothraupis loricata, Eupsittula cactorum, Herpsilochmus sellowi, Megaxenops parnaguae, Myrmorchilus strigilatus strigilatus, Picumnus pygmaeus, Sakesphorus cristatus, Schoeniophylax phryganophilus petersi e Thamnophilus capistratus) e a maioria deles apresenta poucos registros no estado de Minas Gerais. Assim, a região do Peixe Bravo é a única área de geossistema ferruginoso no Brasil com influência biogeográfica da Caatinga.

Além destas, foram detectadas quatro espécies endêmicas do Cerrado (Antilophia galeata, Cyanocorax cristatellus, Melanopareia torquata e Saltatricula atricollis), duas da Mata Atlântica (Hemitriccus nidipendulus e Ilicura militaris) e uma de distribuição restrita aos topos de montanha do leste brasileiro (Embernagra longicauda).

Dentre os mamíferos, foram observadas três espécies: Dasypus cf. septemcinctus, Procyon cancrivorus e Tamandua tetradacytla.

 

Resultados preliminares da flora:

Foram registradas 136 espécies de plantas na região.

Do total geral de espécies identificadas até nível específico, 7 são ameaçadas de extinção: Syagrus glaucescens (Arecaceae), Aspilia subpetiolata (Asteraceae), Encholirium reflexum (Bromeliaceae), Arrojadoa eriocaulis (Cactaceae), Pilosocereus fulvilanatus (Cactaceae), Euphorbia attastoma (Euphorbiaceae) e Cattleya bicolor (Orchidaceae). Encyclia sp. (Orchidaceae) é provavelmente nova para a ciência.

 

Integrantes:

Flávio Fonseca do Carmo, Luciana Hiromi Yoshino Kamino, Marcelo Ferreira de Vasconcelos, Rogério Tobias Junior, Rubens Custódio da Mota.