Levantamento ambiental e cultural para conservação de Curral de Pedras - MG - Instituto PristinoInstituto Pristino

Levantamento ambiental e cultural para conservação de Curral de Pedras – MG

Tipo: Projeto de pesquisa

Situação: Em finalização

Localidade:

Objetivo:

 

Geral: Indicar áreas para conservação do patrimônio biológico e cultural.

 

Específicos:

– Registrar espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção.

– Contribuir para o conhecimento da distribuição da flora e da fauna das florestas decíduas e dos afloramentos calcários do Brasil Central.

– Fomentar a formação de coleções científicas, gerando conhecimento de base sobre taxonomia e variação geográfica.

– Avaliar os distintos valores arqueológicos contidos na área do Curral de Pedras de Jequitaí.

– Realizar a verificação dos potenciais para a conservação do patrimônio arqueológico.

– Sintetizar os dados arqueológicos secundários já produzidos em pesquisas anteriores.

– Incorporar novos dados de interesse à arqueologia.

 

Resultados preliminares da fauna:

Foram registradas 172 espécies de aves no Curral de Pedras.

Dentre elas, nove táxons são endêmicos da Caatinga (Columbina picui strepitans, Compsothraupis loricata, Crypturellus zabele, Eupsittula cactorum, Icterus jamacaii, Myrmorchilus strigilatus strigilatus, Paroaria dominicana, Schoeniophylax phryganophilus petersi e Thamnophilus capistratus) e a maioria deles apresenta poucos registros no estado de Minas Gerais.

Duas espécies de aves são restritas às florestas decíduas associadas às morrarias calcárias do Brasil Central (estados de Minas Gerais, Bahia, Goiás e Tocantins): Campylopterus sp. nov. e Knipolegus franciscanus. Campylopterus sp. nov. é uma nova espécie, estando em processo de descrição (artigo aceito em Zootaxa): “A cryptic new species of hummingbird of the Campylopterus largipennis complex (Aves: Trochilidae)”.

Além destas, foram detectados seis táxons endêmicos da Mata Atlântica (Aphantochroa cirrochloris, Florisuga fusca, Lepidocolaptes squamatus, Sittasomus griseicapillus sylviellus, Trogon surrucura e Xiphocolaptes albicollis), uma espécie endêmica do Cerrado (Saltatricula atricollis) e duas espécies ameaçadas de extinção (Spizaetus ornatus e Spizaetus tyrannus).

Em algumas aves foram observados importantes fenótipos de variação geográfica, ainda desconhecidos, que apresentam caracteres intermediários entre populações da Mata Atlântica e do Brasil Central. Estes resultados sugerem variação clinal nestas espécies e haverá necessidade de revisões taxonômicas, considerando os táxons nomeados em seus extremos de distribuição. Assim, os resultados deste estudo são de enorme importância para o conhecimento da taxonomia de aves, já que as florestas decíduas da margem direita do Rio São Francisco representam uma enorme lacuna de coleta científica.

Dentre os mamíferos, foram registradas sete espécies: Alouatta caraya, Callithrix penicillata, Cebus sp., Didelphis albiventris, Kerodon rupestris, Leopardus pardalis e Puma concolor.

Resultados preliminares da flora:

Foram registradas 129 espécies de plantas no Curral de Pedras.

Do total geral de espécies coletadas, duas são registros novos para Minas Gerais (Adiantum calcareum Gardner – Pteridaceae e Solanum ovum-fringillae (Dunal) Bohs – Solanaceae), uma é espécie nova para a ciência (Portulaca sp. nov. – Portulacaceae) e uma é ameaçada de extinção (Cattleya walkeriana Gardner – Orchidaceae: Vulnerável – MMA, 2014; Vulnerável – Livro Vermelho da Flora do Brasil, 2013; Em perigo – Lista Vermelha da Flora de Minas Gerais-Biodiversitas, 2008).

 

 

Integrantes:

Flávio Fonseca do Carmo, Luciana Hiromi Yoshino Kamino, Marcelo Ferreira de Vasconcelos, Rogério Tobias Junior, Rubens Custódio da Mota.