CANGAS: CONHECER E PRESERVAR! - Instituto Prístino

CANGAS: CONHECER E PRESERVAR!

Os ecossistemas associados as cangas possuem elevada biodiversidade e fornecem serviços ambientais como a recarga de aquíferos. Além disso, têm distribuição restrita e intensa perda e degradação, isso ocorre porque as cangas estão localizadas junto aos principais depósitos geológicos de minério de ferro no país. Assim, estes ambientes estão entre os mais ameaçados do Brasil.

Ecossistemas de cangas. Acima: couraça ferruginosa forma uma “ilha” em meio a vegetação de Mata Atlântica, Rio Pardo de Minas (MG). Foto: Flávio Carmo. Abaixo, esquerda: áreas naturais em serras ferruginosas, Conceição do Mato Dentro (MG). Abaixo, direita: mesma serra, identificando perda de áreas naturais devido a mineração de ferro. Fonte: Atlas Digital Geoambiental. Disponível em: https://www.institutopristino.org.br/atlas/municipios-de-minas-gerais/

Mas, afinal, o que é canga e por que precisamos conhece-las e preserva-las? Para responder à questão, vamos partir do início, utilizando um famoso navegador da internet, o Google Chrome, para buscar algumas informações digitando CANGAS. No momento em que estávamos escrevendo esse texto, apareceu mais de 10 milhões de resultados no Google Chrome e, entre as primeiras páginas, todos estavam relacionados a um tipo de peça de tecido, conhecido como “saída de praia”. Mas, com certeza, não é dessa canga que estamos tratando!

Vamos tentar melhorar nossa busca, digitando CANGAS GEOLOGIA, uma vez que já dissemos que tem relação com esse tema. Percebemos um número MUITO menor de resultados, cerca de 170 mil. E entre os primeiros a aparecer na página de busca, um resultado interessante foi o conceito de CANGA estabelecido no glossário do Serviço Geológico do Brasil (CPRM):

[Inglês: hardpan pro parte]

[Sin.carapaça laterítica; crosta laterítica]

Camada superficial de componentes lateríticos (limonita principalmente) residuais endurecidos por ressecação, formando uma capa dura, quimica e fisicamente resistente aos processos intempéricos e erosivos.

Hardpan forma-se acima do nível do lençol freático, por oxidação e dessecação, com a precipitação e reprecipitação de hidróxidos e óxidos, principalmente de ferro solúveis em níveis redutores.

Para facilitar a visualização desse conceito geológico, vejam abaixo algumas imagens das couraças de canga. Essas couraças ferruginosas são muito antigas – algumas com mais de 50 milhões de anos – que recobrem, como se fossem “ilhas”, os topos e encostas de montanhas constituídas pelas formações ferríferas bandadas (rochas conhecidas como itabirito). Juntos, as cangas e os itabiritos formam os geossistemas ferruginosos. As cangas apresentam características radicais, como temperaturas que podem atingir mais de 60 °C, propriedades magnéticas dada a presença do mineral magnetita (também conhecida como pedra-ímã), elevada incidência de raios ultravioleta, solos ácidos, muito raros e pobres em nutrientes. 

Alguns exemplos de couraças ferruginosas em Minas Gerais. Fonte: Geossistemas Ferruginosos do Brasil (2015). Disponível em: https://www.institutopristino.org.br/categoria/livros/

Finalmente, vamos retornar ao navegador da internet e digitar CANGAS BIODIVERSIDADE, uma vez que também já dissemos que tem relação com esse tema. Agora, percebemos um número ainda menor de resultados, cerca de 45 mil. Uma outra maneira de perceber o quanto os ecossistemas de cangas ainda são pouco conhecidos é consultar os livros didáticos utilizados no ensino fundamental e médio. Para isso, adiantamos uma informação importante: as principais áreas de cangas estão concentradas no Quadrilátero Ferrífero, região central de Minas Gerais, e na região da Serra da Carajás, no Pará.

Então, consultem os livros didáticos escolares e vejam qual abordagem é dada a essas localidades? Muito provavelmente, os livros trazem informações vinculadas a questões econômicas originadas das atividades de mineração. Sabemos que os temas “mineração” e “atividades econômicas” integram, de uma maneira ou de outra, nossa vida cotidiana. Mas, com certeza, temas como “biodiversidade”, “serviços ecossistêmicos”, “patrimônio ambiental”, “água”, “cavernas”, “cultura”, “paisagens”, “espécies raras”, entre outros temas associados aos ecossistemas de cangas também devem ser discutidos, uma vez que estão diretamente relacionados a manutenção do funcionamento dos ambientes naturais, ou seja, estão diretamente relacionados a manutenção de nossa qualidade de vida.

Ecossistemas subterrâneos em cangas. Acima: caverna com a presença de massa d´água (destaque pontilhado) e um espeleólogo (seta branca). Foto: Rogério Tobias Junior. Abaixo: detalhe do teto de caverna ferruginosa com gotas d’água. Foto: Flávio Carmo.

Mais uma dica: se ficou curioso sobre as incríveis espécies raras, cavernas e outros atributos ambientais dos ecossistemas de cangas, consultem as publicações, estudos e webmaps disponibilizados no site do Instituto Prístino. Você vai se surpreender com um ambiente muito diferente, peculiar, misterioso e … muito ameaçado!